24.12.16

pirilampo

foi a teu lado que me deitei pela
primeira vez num prado, lembras-te?
foi a teu lado que olhei por várias
vezes o céu enorme e estrelado e me
senti acompanhado.
foi a teu lado que chorei e ri, e quando
me perdi me mandaste tomar um duche
de água fria (por causa da Natureza...)
foi a teu lado que parti vidros e
gritei e depois adormeci sem saber como, encantado.
foi a teu lado, ao teu lado, em teu lado
que cresci e aprendi também a ser assim,
- pirilampo -
aquele que pelo escuro se vai iluminando. p.p.

5 comments:

Filipa said...

é sempre bom ter alguém por perto...

Mary no país das maravilhas said...

especialmente hoje, filipa!

nuno albuquerque vaz said...

e aprendi a respirar da tua boca...

Verdades said...

Ele escreve por ti. E tu, por quem escreves? Por alguem?

A Chuva said...

fabuloso pela simplicidade e genuinidade que o poema carrega. É uma delícia ler este amor.
Obrigada, dê uma vista de olhos no meu blog :)