4.1.07

as nossas almas saberão de nós

Querida Helena,
ver-te não é como ver qualquer pessoa, é ver-me pelos
teus olhos.
O que vivemos foi demasiado belo para que nos arrisquemos
a perdê-lo na indiferença.
É assim preciso a coragem que torne o nosso afastamento
tão belo como o nosso encontro.
Só o silêncio nos poderá agora ajudar. O silêncio preservar-
nos-á dentro de nós, no sítio onde nos encontrámos e
onde continuaremos juntos, muito quietos, a olhar-nos fixamente
nos olhos.

Nós não, mas as nossas almas saberão de nós.

P.

Lisboa, 17 de fevereiro 1986

12 comments:

sónia said...

É isso mesmo! É exactamente isso! Só eu nunca encontro as palavras certas para o dizer... ;)

lena said...

e ficámos amigos para sempre...
;)

Gui said...

:) :) :)

Leneia_Mauschien said...

Lindo!

lyra said...

mas o silencio ás vezes dói. mói.

Anonymous said...

Sedenta de Paixão cheguei até aqui...um encontro que me surpreendeu confesso! Mas pelo que li...sendo um encontro tão feliz enche o meu coração ao pensar que foi a sua fonte de inspiração.
Bem haja por isso...

lena said...

oh lyrazinha... se não houver silêncio como é que se torna possível ouvir os passaritos?, logo agora na primavera?!

;)*****

anónima surpreendida
só espero ter tempo suficiente para poder trazer para aqui as prendas maravilhosas que o nosso P. me trouxe
neste que foi o encontro de duas almas feridas

:)

Anonymous said...

O encontro dessas duas almas feridas fez-me admirá-la pela sua sensibilidade e fez-me mudar a imagem preconcebida que tinha de si...tenho sido contagiada pelo que escreve e pelo que viveu...quanto ao Pedro...a paixão acentuou-se!
Obrigado por isso

Cherry Blossom Girl said...

Lindo. nem acredito que encontrei este blog.
Adoro,adoro o Pedro Paixão, é um dos meus escritores de eleição. Bela história contada na primeira pessoa:)
***

lyra said...

tens razão :) vou ouvir os passaritos :) amanhã. que a esta hora ja devem estar a dormir ;)

lena said...

e andam tão contentes com a chuva :))

(os meus gatos tb...:]



beijos, é assim mesmo, a natureza**

CARMO said...

mas haverá alguma razão (lógica) para cortar uma amizade entre pessoas que se amaram?... se calhar não há... por uma questão de respeito não deveria haver...